segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

The kids ARE alright

  E quem não queria voltar no tempo e ser criança mais uma vez? Viver muito e, quando chegasse uma certa época da vida, voltar pra inocência infantil. Talvez pra fugir das responsabilidades da vida, talvez pra ter mais uma chance de por tudo no lugar ou mudar tudo de lugar. Viver aquela realidade leve de quem não precisa pensar demais pra nada, de quem pode simplesmente ser. Ser feliz por nada, sem ter que se preocupar com as preocupações de amanhã. Viver pensando que o mundo é tão grande que você mal consegue vê-lo. Não ter responsabilidades de gente grande e nem querer gente grande por perto. Só diversão, e a tristeza que resta é pelo menor motivo que possa existir. E já já passa.
 Ser adulto tem sua beleza também, claro. Até porque pra ser feliz não importa a idade. Só que quando a gente cresce, a gente cresce com a responsabilidade de crescer. A gente já cresce com o peso da vida adulta nas costas, que não é nada fácil. Já pesa no ombro as escolhas, decisões, vontades e preferências, começando com a famosa pergunta " o que vc quer ser quando crescer?". E quem disse que tem tempo pra tudo? Quem disse que já temos que assinar o termo de responsabilidade logo cedo, e que não podemos mais mudar de ideia? Esse é um dos problemas da vida de gente grande, o peso do mundo. 
 Criança sabe das coisas. Muitas vezes, muito mais que a gente. Criança, acima de tudo, sente. E se deixa sentir. Criança tem tato, gosto, previsão, intuição. Sabe se divertir. Criança não pensa demais e não se arrepende. Não faz por acaso e nem vive à toa. Criança é. E agora, eu queria ser criança. Só pra sentir o amor de viver.









Todos os direitos reservados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário